Eleições à vista: Que tal começar a cobrar o comprometimento dos candidatos com as pequenas empresas?


Em outubro teremos eleições municipais no Brasil. Mais uma. Nessa época as pequenas empresas são sempre lembradas e exaltadas. Afinal são cerca de 60 milhões de pessoas, entre os donos, os formais, os informais, os empregados e seus cônjuges e filhos. Promessas e mais promessas são feitas. Redução de carga tributária, menos burocracia, políticas de acesso ao crédito, dentre uma série de outras coisas.

Passadas as eleições parece que passa também toda a disposição apresentada nas promessas e muito pouco se faz. O Brasil passa por uma excelente fase em termos de políticas públicas focadas nos pequenos negócios, principalmente por causa da Lei Geral da MPE e toda a mobilização para sua aprovação e, agora, para sua efetivação prática.

No entanto, temos 5562 municípios e milhares deles ainda não viram o enorme potencial que esse segmento tem para o seu desenvolvimento e da região. Em vez de ficar sonhando com grandes empresas o prefeito, os vereadores, os secretários deveriam por os pés no chão e fomentar os negócios que lá já existem e aqueles podem ser criados pela própria população para fazer frente à sua demanda interna e regional. Uma das ações que tem surtido maior efeito é o uso do poder de compra do município, que passa a direcionar suas demandas para as empresas locais, através de mecanismos oferecidos pela Lei Geral. Com isso, as empresas do município empregam mais (gente do município), aquecem a economia local, distribuem lucros (que são gastos no município), geram salários (que são gastos no município) e assim por diante. Outro item da pauta de desenvolvimento nacional que depende dos municípios é a redução da burocracia na abertura de empresas. Os alvará hoje são um grande tormento para milhares de empreendedores.

Para que isso fique mais claro, o Sebrae está lançando o Guia do Candidato Empreendedor, com propostas concretas para que os candidatos incorporem em seus planos de governo. Mas esse é apenas um passo, se não houver uma cobrança e um acompanhamento por parte da população, muito desse trabalho pode se perder. É fundamental que bons programas de governo sejam feitos e debatidos, mas também é fundamental que as promessas sejam cumpridas e elas somente o serão se a população exercer seu papel cidadão, tanto na cobrança quanto na colaboração para que sonhos se tornem realidade. É como diz o Guia, "A confiança que você deposita na pequena empresa, o eleitor deposita nas urnas."

Para acessar o "Guia do Candidato Empreendedor" basta clicar AQUI. Também há a versão de bolso.

Direito e Gestão Empresarial
Adicionar aos Favoritos BlogBlogs Adicionar esta notícia no Linkk Selo Yoomp 110x20 Azul

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

O auxílio doença e o Empreendedor Individual/MEI

Planilhas gratuitas para auxiliar uma boa gestão financeira

Power Hacks nº4, com Ana Carla Fonseca: Economia criativa