Os sete passos para sua empresa ter um blog de negócios de respeito.


Recordes de utilização da web são quebrados dia após dia, ao ponto de computadores serem mais vendidos do que televisores. Só em 2007 foram 10 milhões de unidades vendidas e 45 milhões de usuários de internet, com mais da metade dos domicílios com banda larga. Quem ainda não pode ter o equipamento em casa utiliza as lan houses em larga escala. 83% dos usuários tem e-mail.

Segundo o NIC.br, Núcleo de Informação e Coordenação do Ponto Br, 95% das empresas com dez ou mais funcionários possuem computadores e 92% delas têm acesso à internet. Entre as empresas com página na internet, 48% disponibilizam preços e catálogo de produtos e serviços para os consumidores, 34% oferecem suporte pós-venda, 23% aceitam pedidos e reservas de produtos e serviços e 10% possuem recursos para transações completas e pagamento on line.

Ainda segundo o NIC.br, com a venda pela internet, 74% das empresas obtiveram redução dos custos dos negócios, 71% agregaram mais qualidade para o consumidor, 69% tiveram o tempo de transação comercial reduzido, 58% registraram vantagem na equiparação à concorrência e 49% conseguiram aumento do número de vendas e de consumidores. Para acessar a pesquisa completa, basta clicar AQUI.

Já na blogosfera, especificamente, são 11,4 milhões de pessoas que navegam, em média, 5 horas por mês em blogs e comunidades. No mundo, um blog é criado por segundo. O Brasil é um dos países com maior utilização de blogs e comunidades como Orkut, num cenário em que está mudando a maneira como as pessoas interagem com empresas, marcas, produtos e informações, de forma cada vez mais pró ativa.

Com base nesses dados e nos bons números de nossa economia, num cenário de globalização extrema, onde se compra um produto da China hoje e 10 dias depois ele chega a sua casa, explorar a web comercialmente passa a ser praticamente uma obrigação para grande parte das micro e pequenas empresas brasileiras. Para tanto, daremos algumas dicas sobre a utilização de blogs como instrumento de colocação da empresa na web e no próprio mercado, a um baixo custo.

Quanto melhor o seu blog (e por melhor inclua-se SEO, atualizações freqüentes e interessantes, canais de contato efetivo, dentre outras coisas), mais alta será a possibilidade de encontrar potenciais clientes e manter os atuais. E assunto tende a não faltar, já que as pequenas empresas são reconhecidas pela agilidade e capacidade inovação, além da maior facilidade na customização de produtos, serviços e atendimentos. Com produtos cada vez mais parecidos, o atendimento toma um lugar de excelência no gosto dos consumidores. Aliás, não apenas o atendimento, mas as relações entre empresa e consumidores.

Criar um blog é extremamente barato. Não direi que não custa nada porque toma tempo e tempo é dinheiro no mundo dos negócios, principalmente quando estamos falando de pequenas empresas, onde os sócios são gerentes, negociadores, atendentes, gestores de RH... As ferramentas disponíveis hoje no mercado permitem a criação de blogs fabulosos, o que, aliado a uma gestão eficiente de seu conteúdo, pode ser capaz de auxiliar muito a evolução e a profissionalização do negócio.

Vale lembrar que o blog não permite vender diretamente para o consumidor, da forma como vemos hoje nos grandes sites de varejo, onde escolho o produto, coloco no carrinho e pago com meu cartão de crédito ou boleto bancário. Para tanto é necessária uma plataforma mais robusta, de um site mesmo. Para o blog, em termos de venda específica, vale a divulgação dos produtos e da empresa, para fechamento de venda via telefone ou e-mail. Por isso, nada impede que sua empresa entregue em todo o território nacional e mesmo no exterior. Os Correios são destaque quando o assunto é entrega. Vale consultar o programa Exporta Fácil.
O passo “zero” é ter domínio do seu negócio. Sua estratégia, seu público alvo, seus produtos/serviços, o mercado. Mau negócio físico é sinônimo de mau negócio virtual. É batata. Negócio bagunçado, blog bagunçado, além de ser quase um milagre a sobrevivência dessa empresa por prazo superior a dois anos. É o que apontam as pesquisas. Vale consultar o SEBRAE sobre o assunto.

Dito isso, vamos à “internetização” do seu negócio, por meio de um interessante, bonito e funcional blog.

O primeiro passo é criar um bom blog, com navegação amigável e um design minimamente atraente. Tanto o Blogger quanto o Wordpress cumprem essa tarefa, desde que não se invente muita “moda” com as ferramentas disponíveis. Uma imagem séria e profissional, que espelhe credibilidade, deve ser passada ao mercado. Muitas plataformas permitem escrever um blog de forma que somente convidados possam ver. Você pode usar esse artifício por algum tempo para desenvolver o blog e aferir se tem a energia, foco e desejo suficientes. Os blogs Dicas Blogger e Templates Novo Blogger dão todas as dicas para quem escolher o Blogger, com modelos de blogs e tutoriais.Para quem optar pelo Wordpress vale a pena um clique no Mr. Wordpress. Quem não tem noção alguma deve ler o Bê-a-Blog, manual muito bem feito sobre blogs e afins.

O segundo passo é registrar um domínio próprio pontocom ou pontocompontobr, o que confere maior profissionalização e é muito barato. Os preços variam entre 10 e 30 dólares por ano e você terá também e-mails com o nome da empresa. Para maiores informações clique AQUI.

O terceiro passo é buscar ferramentas de “search engine optimization”. Seu bom posicionamento nas ferramentas de busca é importante num mundo onde o uso da internet aumenta exponencialmente todo ano e a web aparece como um grande catálogo telefônico ou uma grande vitrine. Vale a pena visitar o MESTRE SEO.

O quarto passo é levar sempre bons conteúdos. O blog não falará apenas dos produtos/serviços da empresa, mas trará também notícias, manuais, links, indicações e comentários sobre assuntos de interesse dos seus clientes (e não seus, é bom que se diga). Não apenas os sócios da empresa alimentarão o blog, mas também outros colaboradores, como vendedores, gerentes e fornecedores, mas sempre passando por um gestor para não virar bagunça. O que vale é a boa idéia. Em suma, o blog deve ser pulsante e atraente para a clientela cativa, pontual e potencial. Tudo isso de forma SIMPLES, é bom que se diga, sem enervar o potencial cliente com pop-us, infindáveis links, janelinhas piscantes, registros, etc.

O quinto passo é ser interativo e utilizar o blog como ferramenta de relações públicas, comunicação com clientes e marketing, fazendo com que o blog seja uma ferramenta pró ativa, utilizando o mailing e mantendo contato pós venda, com ofertas e disponibilização de newsletters e informativos. Além disso, essa faceta do blog ajudará a receber feedbacks dos clientes.

O sexto passo é observar leis de direitos autorais, preocupando-se com cópias sem autorização e cópias com condições, como, por exemplo, citar a fonte. Lembre-se que seu blog tem fins lucrativos, já que procura incrementar as vendas da sua empresa e, conseqüentemente, ampliar seu lucro. O Creative Commons (em inglês) traz bastante ajuda e o Blosque trouxe um arrazoado bem sólido sobre o assunto.
O sétimo e último passo é atualizar o blog com conteúdo interessante e prático, freqüentemente. Essa talvez seja a tarefa mais difícil, justamente por exigir tempo, não só para a atualização em si, mas também para sempre estar atento às novidades e ao interesse do mercado. O maior obstáculo para a manutenção de um bom blog é o compromisso de mantê-lo. Escrever um post é tão fácil quanto enviar um e-mail, mas ter um bom conteúdo e sentar na frente do computador pode ser uma tarefa muito mais difícil do que parece.


Direito e Gestão Empresarial
Adicionar aos Favoritos BlogBlogs Adicionar esta notícia no Linkk Selo Yoomp 110x20 Azul

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

O auxílio doença e o Empreendedor Individual/MEI

Planilhas gratuitas para auxiliar uma boa gestão financeira

Roteiro para elaboração de contrato de prestação de serviços.