Desafios e obstáculos: a motivação dos empreendedores


Bruno Biscaia


Acredito que grande parte do que o ser humano aprende vem do poder da observação, inspirando-se no sucesso alheio. Eu, por exemplo, sou assim. Quem, em algum momento, não foi ou não é?! Ora, gosto de ficar perto de bons profissionais e, principalmente, de profissionais bons, que se preocupam também com as pessoas e seus valores - e não simplesmente com os números. Gosto de aprender a liderar com quem lidera de forma natural, tácita, e não com fórmulas simplistas retiradas deste ou daquele livro.

Neste sentido, para mim é tudo muito óbvio: a convivência com esses ícones do mercado de trabalho torna o que eu tanto leio (em sites, livros etc.) sobre características empreendedoras muito mais compreensível, afinal, estou tendo a oportunidade de ver na prática como se comporta um empreendedor de sucesso, seja ele o fundador de uma empresa ou um intra-empreendedor.

Durante esta convivência, procuro ao máximo obter informações que auxiliem no meu processo de formação empreendedora, como por exemplo: descobrir sua história, seu posicionamento, suas dificuldades iniciais, sua opinião sobre o trabalho e etc. Com base nisso, tive a oportunidade de notar alguns obstáculos que eles tiveram de superar, independentemente dos seus recursos disponíveis. Na prática, não importa se o empreendimento se originou com um grande investimento inicial ou simplesmente seguindo o velho lema “com a cara e com a coragem”. Os desafios também vieram a reboque.

O tempo

Pude verificar que, no começo, uma das principais dificuldades é lidar com o tempo, ou melhor, com a falta dele. Percebi que isso é bastante complicado no início, pois geralmente quando se começa a colocar as boas idéias em prática, sempre se está ocupado demais para conseguir se dedicar o suficiente a tudo em que ela envolve.

Nesse momento, faz a diferença quem tem um senso de urgência bem calibrado, que nada mais é do que saber diferenciar o que é importante, o que é urgente e o que pode ficar para depois, assim planejando tarefas e analisando-as de acordo com a sua importância. Agora, seja sincero e reflita:

  • Você aproveita bem o seu tempo?
  • Quais hábitos você desenvolveu para se livrar das atividades que consomem muito tempo?

Para vencer esse quadro, são necessárias algumas doses de disciplina, autoconfiança e perseverança. Estes fatores juntos inibem qualquer dúvida sobre a aplicabilidade de sua idéia ou qualquer medo referente à desconfiança do cliente quanto a sua marca. Mas, fique calmo, para ser empreendedor você não tem de estar focado por todas as 24 horas do dia. Basta que faça daquelas que trabalha sua grande fonte de inspiração e se dedique de verdade.

Afinal, como diz o meu amigo Conrado Navarro, fundador do Dinheirama, o empreendedor é alguém normal, assim como eu e você, e o que o diferencia dos demais é a sua energia. É verdade, a motivação e a iniciativa são fatores determinantes na vida desse personagem, que certamente irá enfrentar muitos outros obstáculos, como falta de capital, dificuldade para ganhar o cliente e etc.

Por isso, acesse o Youtube, visite os blogs de sua preferência, ouça uma música, mas não deixe que isso atrapalhe o seu desempenho. Navegar por lazer no trabalho pode elevar a produtividade, diz um estudo! Quem diria!

A vida social

Outro ponto de suma importância é a conseqüência de muito esforço e de muito trabalho em torno de uma idéia ou de um novo negócio: há uma natural diminuição na intensidade da vida social. Com muito trabalho pela frente, freqüentemente o acesso a amigos e a parentes deixa de ser uma rotina e acaba se tornando algo não tão comum. Grandes empreendedores alertam: o trabalho intenso naquilo que gostamos pode afastá-lo da família; apenas cuide para que isso seja temporário.

Mas não se trata de uma regra universal: você pode fazer da sua vida algo diferente, afinal quem trabalha no que gosta acaba encontrando no exercício de sua profissão uma boa forma de promover a sua alegria. Por isso, dedique seu tempo em uma atividade que você goste, onde se realize, e não perca tempo e dinheiro com outras coisas.

“Não é a vontade de vencer que conta, mas a vontade de se preparar pra vencer.”

Paul “Bear” Bryant

Na realidade, embora esses fatores citados pareçam ser os mais simples de se resolver (e em alguns casos até o são), eles muitas vezes podem ser decisivos para a desistência de uma atividade. Dessa forma, acho legal expor aqui minha experiência - que adquiri nos ambientes de trabalho pelos quais passei:

1) Procure sempre alguém mais experiente e mais bem informado que você. Estar rodeado de pessoas inteligentes sempre implica aprendizado e ainda pode lhe render bons contatos;

2) Tente produzir uma lista com metas a serem seguidas, não importando se são diárias, semanais ou mensais. Comece da forma mais prática para você e tente levar este hábito adiante;

3) Eleja uma referência, alguém em quem se espelhar e que possa lhe dar conselhos quando for necessário;

4) E agora, mais importante do que todos os outros, se esforce para não desistir diante das dificuldades! Elas só existem para tornar a vitória um momento mais gostoso de se comemorar.

Obrigado pela companhia. Fico à disposição para discutirmos sobre qualquer assunto aqui neste espaço do Dinheirama. Você também tem alguma experiência que comprove a importância dos desafios em sua vida? Tenha uma ótima semana. Até a próxima.

——Bruno Biscaia já atuou nos setores de Marketing de Eventos e de Planejamento e Controle da Produção. É estudante de Engenharia de Produção Mecânica na Universidade Federal de Itajubá (UNIFEI) e edita a seção de Empreendedorismo do Dinheirama.

Direito e Gestão Empresarial
Adicionar aos Favoritos BlogBlogs Adicionar esta notícia no Linkk Selo Yoomp 110x20 Azul

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

O auxílio doença e o Empreendedor Individual/MEI

Planilhas gratuitas para auxiliar uma boa gestão financeira

Power Hacks nº4, com Ana Carla Fonseca: Economia criativa