Orientações importantes antes de tomar o seu empréstimo


Do João Silvério
do blog Pequenos Negócios & Finanças

Tenho reiteradamente escrito posts sobre Microcrédito, mas hoje decidi mudar e escrever algo que possa orientar a decisão de como tomar empréstimos e / ou financiamento, ou seja, recursos de terceiros.

Na atual situação de ajustes econômicos em que o Brasil atravessa, tendo no conjunto de pequenos negócios a mais adequada âncora de sustentação das economia local, é natural que aumente a procura por empréstimos e financiamento junto aos diversos atores financeiros disponíveis.

Tudo bem, também é verdade que a maior oferta de crédito tem sido direcionada a portes empresariais que possuem melhores garantias, e por conseguinte, atendem de forma mais adequadas às exigências bancárias, mas avancemos.

A experiência do SEBRAE na orientação de onde, como e de quem buscar crédito, baseada nas consultorias realizadas, tem indicado que muitos problemas financeiros aos quais estão expostas os pequenos negócios brasileiros são decorrentes, também, da necessidade de melhor preparo do empreendedor, quando considerados o planejamento do negócio e na organização das informações, tanto internas, quanto externas à organização ambiente empresarial.

No que se refere à necessidade de levantamento de empréstimos e financiamentos, vale a pena ressaltar que diversos cuidados devem ser considerados, pois investir o suado capital acumulado é relativamente simples, o difícil é recuperar tal capital , tendo o retorno sobre o investimento como conseqüência de um empreendimento bem gerenciado, seja ele de qual tamanho for.

Assim, se você está pensando em montar, ampliar ou modernizar seu próprio negócio alguns pontos devem ser considerados, com base nas dicas de acesso a serviços financeiros. Vejamos:

a) Crédito viabiliza oportunidade, não as cria;

b) O processo de planejamento contribui para identificar e administrar os riscos e a capacidade de pagamento do empreendimento;

c) O empréstimo ou financiamento deve ser sempre aplicado na finalidade para que foi obtido: capital de giro, investimento fixo ou misto (associados);

d) Muitas vezes, a necessidade de capital de giro é conseqüência da necessidade de melhor gestão de estoques e “descasamento” entre contas a pagar e receber;

e) Evite ao máximo contrair um empréstimo em que a taxa de juros seja maior que a taxa de retorno do negócio;

f) Analise se as altas taxas de juros cobradas nos contratos de empréstimo estão dentro do que a empresa pode pagar, ou seja, se seu negócio possui capacidade de pagamento.

g) Em geral, as instituições financeiras oferecem pacotes de produtos e serviços que complementam o relacionamento bancário com o cliente, como seguros e outros serviços e esta necessidade ou não deve ser analisada individualmente;

h) Os custos que incidem direta ou indiretamente sobre os empréstimo e financiamentos devem ser claramente informados e computados no custo final do financiamento;

i) O conhecimento prévio das linhas de crédito e suas condições gerais tende a reduzir as dificuldades de negociação de empréstimos e financiamentos, além de permitir a melhor comparação entre alternativas disponíveis;

Por fim, lembramos que o SEBRAE disponibiliza ao empreendedor todas as informações necessárias para o acesso a serviços financeiros e crédito. Procure um de nossos pontos de atendimento, ou acesse nosso site http://www.uasf.sebrae.com.br/.

Abraços e até a próxima. JS


Direito e Gestão Empresarial
Adicionar aos Favoritos BlogBlogs Adicionar esta notícia no Linkk Selo Yoomp 110x20 Azul

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

O auxílio doença e o Empreendedor Individual/MEI

Planilhas gratuitas para auxiliar uma boa gestão financeira

Power Hacks nº4, com Ana Carla Fonseca: Economia criativa