7 Dicas para implementar a inovação em empresas.


Por Daniel Martins, do www.carlosjulio.com.br

No início do ano, deparo-me frequentemente com executivos ansiosos por constituir avanços no campo da gestão. Muitos procuram aumentar as receitas, outros buscam modificar a imagem da corporação. Alguns almejam, com razão, mostrar serviço e justificar seus salários e bônus.

O verbo “inovar” é utilizado com frequência por esses líderes. Por vezes, a palavra se insere numa súplica dramática. São comuns frases do tipo:

1- Como inovar sem colocar em risco o patrimônio e a credibilidade da companhia?

 2- Será que o nosso público está preparado para essa inovação?

3- Se arrisco de cara, posso dar com os burros n’água. Se me alongo no estudo de viabilidade, a concorrência me atropela. Que fazer?

É interessante notar que a maior parte dos executivos associa a inovação a algo marcante, grandioso e até mesmo revolucionário.

Assim é, de fato, quando uma montadora de automóveis, por exemplo, passa a produzir um híbrido, que funciona a gasolina e energia elétrica.

É também o caso de uma construtora que mobiliza especialistas de diversas áreas para construir condomínios sustentáveis, que gastam menos água e energia elétrica.

Dessa forma, a empresa estabelece uma diferenciação no mercado e, muitas vezes, acaba por transformá-lo, ditando tendências.

Em muitos casos, no entanto, não é possível empreender uma mudança dessa magnitude, o que frustra tremendamente as lideranças.

Afinal, nem sempre dispomos de ferramentas, tempo, recursos financeiros e talentos para realizar essas transformações.

Porém, é justamente nessas situações adversas que os melhores executivos podem exibir suas competências.

Costumo dizer que podemos sempre recorrer ao MPC, ou seja, ao Monte de Pequenas Coisas. Em geral, elas podem ser feitas rapidamente, sem altos investimentos.

Elas podem não revolucionar o segmento, mas podem ampliar a zona de conforto da organização. Pequenos sucessos, somados, tendem a modificar a cultura da companhia, motivando os colaboradores e cativando os clientes.

Para resumir a ideia, listo sete dicas para implementar a inovação em empresas levando em consideração a fórmula do MPC:

1- Mude a cara da sua empresa. No caso do varejo e do segmento de serviços, instalações são fundamentais. Se você tem um pet shop, por exemplo, que tal aproximar da entrada a área de banho e tosa? As pessoas adoram espiar as atividades de embelezamento dos animais. Por que manter esse formidável atrativo no fundo da loja?

2- Aprimore o atendimento. Promova cursos internos. Não se fie em clientes consolidados. Eles mudam com o tempo e você precisa identificar suas novas demandas. No caso de novos clientes, mostre disposição de consultor. Não empurre produtos ou serviços. Se necessário, venda menos, mas fidelize.

3- Atualize a sua linguagem. Preste atenção especial à nova Classe C. Evite a chamada “dissonância cognitiva” ao oferecer seu produto ou serviço. Seja mais claro, direto e transparente. A simplicidade não mata a elegância da comunicação.

4- Troque aquelas cadeiras que arrasam colunas na Contabilidade e no Atendimento. Construa finalmente o vestiário para a turma da limpeza. São mudanças pontuais, mas que elevam a autoestima das equipes, conferem dignidade ao trabalho e melhoram as relações entre líderes e liderados.

5- Deixe a pose de lado e dialogue com toda sua turma. Você vai se surpreender com o conhecimento que motoboys, copeiras e seguranças têm da empresa. Eles podem ajudá-lo a solucionar problemas crônicos da companhia, especialmente na área das relações humanas.

6- O Brasil é hoje um dos países que mais atraem investimentos internacionais. Pesquise, investigue e prospecte. Um novo sócio ou parceiro pode garantir a ampliação estratégica e a qualificação do seu negócio.

7- Estimule o grupo de colaboradores a desenvolver práticas de sustentabilidade. Premie as melhores ideias. Coloque-as em prática. Fortaleça, assim, o endomarketing. Bons projetos na área não servem apenas para polir a imagem da organização. Eles efetivamente podem reduzir custos e beneficiar o planeta.

Vamos tentar? Se tiver dúvidas, recomendo algumas de minhas palestras para lhe ajudar. Você tem 2012 para liderar uma revolução ou para empreender a mudança com base num Monte de Pequenas Coisas. 

Basta escolher.

Afinal, a teoria, na prática, funciona! 

Direito e Gestão Empresarial

Comentários

Daniel Milstein disse…
Good share,I hope more people discover your blog because you really know what you're talking about. Can't wait to read more from you!

Postagens mais visitadas deste blog

O auxílio doença e o Empreendedor Individual/MEI

Planilhas gratuitas para auxiliar uma boa gestão financeira

Power Hacks nº4, com Ana Carla Fonseca: Economia criativa