Em que ramo devo empreender?:


Por Gabriela Manzini via o blog  www.pensandogrande.com.br
Segundo o administrador de empresas, professor e autor Rogério Chér é comum empreendedores de primeira viagem não saberem o ramo em que desejam atuar. Em seu livro “Empreendedorismo na veia”, ele conta que, quando inicia seus cursos, apenas 20% das pessoas já tocam seus negócios, 80% planejam empreender algum dia e mais de 90% não tem ideia do tipo de negócio que escolherão.
Se esse é o seu caso, não se desespere! O Pensando Grande separou três dicas bem úteis que podem ajudá-lo a se decidir.
1)      Você é bom em quê?
Segundo o empreendedor e fundador do DescomplicaMarco Fisbheniniciar um projeto já é difícil por si só. Se você já conhece um mercado e tem expertise nisso, este segmento pode ser uma boa alternativa a seguir!
2)      Faça uma pesquisa de mercado
ID-10029938
Quais são as oportunidades relacionadas a certos ramos de negócio? Uma investigação minuciosa pode trazer à tona segmentos que você ainda não havia cogitado. Busque autoridades e associações do setor, converse com quem já empreende na área, leia muito, fique por dentro das tendências de mercado e avalie se é esse o caminho que você se imagina seguindo. Faça de tudo para se certificar de que suas chances de acertar são maiores do que as de errar.
3)      Decida se você quer ser um investidor ou um empreendedor
De forma simplificada, empreender investindo em determinado setor é colocar recursos em algo que você acredita ter potencial e colher os frutos. Nesse caso, boas parcerias com quem entende do ramo são a melhor saída.
No entanto, neste item, nomeamos como empreendedor a pessoa que abre seu negócio e também toca o empreendimento, o “coloca para funcionar“. Aqui, ter conhecimentos sobre o segmento, noções de gestão, administração e liderança, e psicológico para lidar com altos e baixos é fundamental.
Não existe perfil de empreendedor melhor ou pior. Você apenas precisa definir em qual se encaixa melhor.
Rogério Chér acredita que não há nada de errado em querer ter seu próprio negócio e ainda não saber exatamente o quê. “O que existe, sim, é o desafio de encontrar oportunidades de negócios relacionadas à sua missão, desenhada ao longo do processo que o conduz à sua visão de futuro”, orienta o professor, em seu livro.

Gostou? Curta a Fan Page (AQUI), siga o Twitter (AQUI) e assine o nosso canal do Youtube (AQUI).

Direito e Gestão Empresarial

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

O auxílio doença e o Empreendedor Individual/MEI

Planilhas gratuitas para auxiliar uma boa gestão financeira

Roteiro para elaboração de contrato de prestação de serviços.