O que todas essas personalidades podem ensinar para os empreendedores (Parte 3)


A revista Época Negócios de dezembro/13 traz uma séries de rápidas entrevistas com várias personalidades empresariais e artísticas. Separei algumas passagens que achei mais interessantes e vou compartilhá-las aqui em vários posts. São passagens de grandes empresários sobre economia, empreendedorismo, inovação, liderança, dentre outras searas do mundo corporativo bastante aplicáveis no cotidiano dos empreendedores de pequeno porte.

"Adoro quando me convidam para voar de jato. Mas eu não preciso ter! Isso é coisa dos meninos, eu tenho de respeitar. Acho fantástico o mundo deles. Eles são práticos objetivos, eles querem, eles relacionam, fazem o mundo diferente. A mulher é um outro ser, a mulher é agregadora, cuidadora e compartilhadora."

"Foi a melhor escola que eu tive, a melhor escola da vida foi trabalhar dede criança!"
Sônia Hess – Presidente da Dudalina

"É bastante provável, embora não certo, que a economia chinesa se tronará a maior do mundo no final desta década ou no começo da próxima, mesmo em dólares. Porém os EUA continuarão importantes em várias dimensões: serão muito mais ricos que a China, muito mais avançados. Os EUA irão manter sua posição dominante pelos próximos 10 a 20 anos, em tecnologia, pesquisa científica e inovação. O país ainda será o centro financeiro do mundo e a casa dos mais importantes players do mercado financeiro. O dólar provavelmente continuará a ser a moeda mundial por boa parte da década de 2020. Por tudo isso, é provável que eles continuem a ser a nação mais influente, pelo menos até 2030."
Martin Wolf – Economista chefe do Financial Times

"Um ponto de partida fundamental é pedir para a pessoa contar uma história da companhia. Esse relato trás revelações sobra a cultura, os heróis e os mitos da empresa. Ao falar da história, ela está desarmada, é natural. As pessoas fazem isso usando a memória. Para responder outras perguntas , usam a lógica e, portanto, podem maquiar suas falas."

"Em geral, o que faz uma pessoa inadequada é o comportamento, e não o conhecimento. A pior e mais comum atitude para a contratação dar errado é a prepotência. Outra é a arrogância intelectual, que se revela, por exemplo, quando ela só se refere ao próprio passado."

"A contratação também pode dar errado por falta de alguma competência. Outros aspectos que não são definitivos, mas geram um desconforto, são o não cumprimento de horários e o jeito de se vestir."

Luiz Carlos Cabrera – Headhunter

Gostou? Curta a Fan Page (AQUI), siga o Twitter (AQUI) e assine o nosso canal do Youtube (AQUI).

Direito e Gestão Empresarial

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

O auxílio doença e o Empreendedor Individual/MEI

Planilhas gratuitas para auxiliar uma boa gestão financeira

Power Hacks nº4, com Ana Carla Fonseca: Economia criativa